Sweet de Elegância

”A elegância nada tem haver com o ”remix” de legendários mitos de classe e bem vestir. Nada tem haver com a lista das dez mais bem vestidas do ano. Não há fantasias para ser elegante. Não se compra elegância. Ela não está em incríveis roupas, ou sapatos sexies ou acessórios exclusivos. Isso ajuda a eliminar alguns erros de bem vestir.

A elegância vem do silêncio, vem da alma generosa, do sorriso doce, do olhar terno e condescendente. A elegância vem do amor e não do terror. Não se impõe elegância, se espalha, quase misteriosamente como um perfume suave que segue o rastro de seu dono. Para ser elegante, há de ser humilde. Há de ter coragem, mas não se esconder atrás de subterfúgios. Há de ouvir os outros, de ser diplomata, com postura ereta, gestos sutis, palavras vindas de sabedoria, atitude respeitosa e delicada com todos a sua volta.

Há de se economizar comentários fúteis e inúteis, há de ser útil para a comunidade, há de ter senso dentro do senso comum.

Não está no julgamento, mas no aceitamento. Não está na superioridade, mas na compreensão. Não está na inveja, mas na admiração. Não está no ceticismo, mas na fé.

Não está na arrogância, mas nas infinitas atitudes dadivosas não publicadas.

Assim sendo, a elegância não pertence a ninguém, mas é antes de tudo um dom de Deus que uns escolhem praticar e outros preferem invejar.”

Cris Lotaif

Deixe um comentário